• Por Stephanie Sonsin

Como identificar a depressão na infância? Fique atento aos 13 sinais!


Pouco se fala sobre depressão e formas de intervir quando se trata de crianças. Assim como os adultos, as crianças estão sujeitas a esse mal e podem apresentar uma série de problemas intercorrentes. Por isso, é fundamental saber identificar a depressão na infância.


A seguir, explicarei em detalhes como é a depressão na infância, como ela se apresenta e os sinais que você deve ficar atento nas crianças.


O que é depressão na infância?


Importante saber que, segundo dados da OMS, 6% da população mundial tem quadro de depressão e estão adoecidas em algum nível com essa doença. O Brasil é o país mais depressivo da América Latina.


A depressão é um transtorno de humor. Na melancolia há uma redução na autoestima, a perda é inconsciente e é o próprio ego do indivíduo que se esvazia e empobrece. A raiva que é sentida pela criança também é trazida para si e adoece.


Por isso, mais do que nunca precisamos falar sobre prevenção à depressão na infância e, para isso, gosto do conceito do psicanalista Spitz, que menciona que a prevenção é da lógica daquilo que não é usado tem consequências.


Sinais de depressão na infância


Por ser um transtorno relacionado ao humor, os sinais mais perceptíveis de depressão na infância são as oscilações no humor e na forma de viver da criança. Veja a seguir os 13 sinais que a criança pode apresentar:

  1. Dores de cabeça e abdominais;

  2. Falta de apetite ou apetite maior do que o comum;

  3. Desinteresse em brincar e ir para a escola;

  4. Medos incomuns, como ficar no quarto sozinha;

  5. Irritabilidade;

  6. Alterações do sono, principalmente a insonia;

  7. Expressão triste;

  8. Alteração do tom de voz (mais baixo);

  9. Isolamento, gosta de ficar sozinha;

  10. Agressividade ou passividade exagerada;

  11. Choro sem razão aparente;

  12. Dificuldades cognitivas;

  13. Ideias ou comportamento suicidas.

Não há uma regra quanto aos sinais, sintomas ou queixas que a criança possa apresentar, mas esses são os principais indícios de que algo está errado. O mais importante ao analisar o comportamento das crianças é perceber se há uma mudança brusca de comportamento, se tal mudança tem acontecido com frequência, quais fatores externos podem ter interferido nessa oscilação, entre outras coisas. É importante citar a importância de uma avaliação psicológica clínica ao perceber estes sinais na criança.


Depressão não é frescura.


E para finalizar não poderia deixar de dizer: depressão não é frescura! Se a criança apresenta comportamento depressivo e recebeu o diagnóstico, é preciso tratar.

Quando não tratada devidamente, a doença pode evoluir para uma série de outros problemas podendo, inclusive, colocar a vida da criança em risco.

Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir outras publicações no blog.


60 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo